Article 160

O tráfico de seres humanos, um drama real

SINOPSE

“O tráfico de seres humanos tem vindo a tornar-se num  grande problema a nível Europeu. Todos os anos, um número crescente de pessoas, a maioria mulheres e crianças, são vítimas de tráfico para fins de exploração sexual ou outra, dentro e fora das fronteiras. Esse fenômeno atingiu níveis sem precedentes, na medida em que pode ser considerada como uma nova forma de escravidão. “- Introdução da Convenção do Conselho da Europa relativa à Luta contra o Tráfico de Seres Humanos.

Para mim, a dança não é apenas uma forma de arte, mas também pode ser um instrumento social e cívico. Pode ser uma forma de educar, esclarecer, sensibilizar e promover o diálogo sobre assuntos  sociais e cívicos. também pode ser uma maneira de nunca nos esquecermos das nossas responsabilidades morais num mundo cheio de injustiça e desumanidade. No teatro literário, não é raro encontrar obras que aspiram a esses fins, mas na dança é raro. A partir de Hamlet, de Shakespeare, temos estas palavras, “a finalidade de jogar [o teatro], cujo fim, tanto no primeiro e agora [a partir de sua invenção], era e é, para manter como ‘foram o espelho da natureza”. 

Aqui Shakespeare ecoa autores clássicos, que insistiram que o drama é uma forma de verdade, e não um mero entretenimento. No espelho teatral vemos nossas virtudes e vícios refletidos  de volta para nós na sua verdadeira forma: e eu acredito que é a função moral do teatro.

A minha criação –  ARTIGO 160º – aspira a nunca nos esqueçamos de uma das maiores indignidades da história –  a escravatura e para nos alertar para uma das suas mais hediondas consequências presentes no Séc.XXI – o tráfico de seres humanos.

Em “Artigo 160.º não tenho a pretensão de falar por ou com experiência sobre o assunto, mas sim levar até talvez o que se pode chamar de uma posição mais fenomenológica, investigando de acordo com um ponto de vista, num envolvimento artístico autêntico com uma questão complexa. Gostaria que o público não se limitasse só a ver o espectáculo mas que posteriormente também possa debater o que viu.

por Donald Byrd

Ficha Artística

Direcção Artística: Daniel Cardoso
Coreografia: Donald Byrd
Bailarinos: Daniel Cardoso, Elson Ferreira, Ester Gonçalves, Filipe Narciso, Inês Godinho, Kim Potthoff e Mathilde Gilhet
Música: Mark Farina, Custodio Castelo, Mario Kober e Dulce Pontes
Desenho de Luz: Hugo Franco
Figurinos: Margarida Belo Costa
Fotografia: Cristina Cardoso

Informações

Público: maiores de 12 anos
Duração: 45 minutos

Contacte-nos

Para questões relacionadas com espectáculos, patrocínios, estágios, intercâmbios, ou outros assuntos, por favor entre em contacto connosco.

Not readable? Change text.