Linhas Escritas

Uma reflexão à problemática social atual

SINOPSE

“Linhas Escritas” é uma série de criações ligadas à problemática social e atual, trabalhando e esmiuçando conceitos como a inclusão ou a tolerância em oposição à irredutibilidade, a segregação e a intolerância. Pretendemos com este trabalho continuar a debruçar-nos sobre assuntos diretamente relacionados com a vida quotidiana, sensibilizando o público para um problema cada vez mais presente na nossa sociedade. O desafio proposto aos criadores Jácome Filipe e Daniel Cardoso, foi o de trabalharem o mesmo tema com abordagens e conceitos diferentes. As peças vão-se desenrolando a partir de personagens desenvolvidas e criadas pelos próprios bailarinos/intérpretes, personagens estas que constituem a primeira parte do programa. Através deste trabalho, pretendemos promover um reflexão sobre temas tão opostos e contraditórios como a tolerância, a inclusão, o romantismo, a flexibilidade, a paciência e a permissão versus irredutibilidade, desumanidade, fanatismo, intolerância, rigidez, e austeridade.

1º parte –  “DMG Records”

Seis personagens com um percurso, um passado, um presente, um futuro, um nome, uma idade, ou seja um individuo único.  Os bailarinos/interpretes dão corpo a estas personalidades com as suas fragilidades, medos, esperanças, passando por aquele acontecimento que pode alterar ou marcar uma vida.

2º parte – “Pressure Point Untouched”

E assim vão as coisas…

Retradução livre, inspiração, sugestão, provocação, influência, proposta e estimulo da frase repetida à exaustão, “And so it goes” do livro “Matadouro 5” de Kurt Vonnegut. Tradução, como deve de ser,  para “ E é assim.” da ilustre Rosa Amorim, Editora Bertrand.

Titulo original: Slaughterhouse Five. Design de capa da sempre designer Vera Braga e a ilustração de capa congeminada e germinada pelo próprio Kurt. A revisão por sua vez foi feita pelo Miguel Batista, Migas para quem quiser. Esta edição, que me parece ser a primeira de muitas a  formarem-se num vasto horizonte de sucessos literários, segue a grafia do Novo Acordo Ortográfico da Língua Portuguesa.

Acabou de imprimir-se no quente verão de 2011.

3º parte –  “Back to the threshold”

Caminhar e reatar o caminho esquecido, rompido, encontrar a ponta por onde rompeu.

Talvez sirvam todas as pontas da meada. Recolher as memórias. Explorar o interior, as sensações, o sentimento, a interação destas seis personagens que se cruzam. A ingenuidade muitas vezes perdida é o legítimo segredo de cada um e o seu possível refúgio. É o seu próprio sentimento livre permitindo que talvez um dia seja possível cair a “máscara”…

Ficha Artística - 1ª parte

Coreografia, Figurinos, Cenografia e Interpretação: Elson Ferreira, Ester Gonçalves, Filipe Narciso, Inês Godinho, Kim Potthoff e Mathilde Gilhet
Música: G. F, Handel, Max Richer, Shlohmo, Ryoii Ikeda, Mount Vernon Arts Lab, Pan Sonic e The Original Memphis Five.
Ensaiador: Rui Reis
Desenho de Luz: Daniel Cardoso
Sonoplastia: Inês Godinho
Fotografia: Cristina Cardoso

Ficha Artística - 2ª parte

Coreografia: Jácome Filipe
Bailarinos e Intérpretes: Elson Ferreira, Ester Gonçalves, Filipe Narciso, Inês Godinho, Kim Potthoff e Mathilde Gilhet
Música: William Basinski, “El Camino Real”; Textos gravados de George Carlin; Johann Sabastian Bach concerto nº5 in F minor BWV 1056
Ensaiador: Rui Reis
Desenho de Luz:  Jácome Filipe
Sonoplastia: Jácome Filipe

Fotografia: Cristina Cardoso

Ficha Artística - 3ª parte

Coreografia: Daniel Cardoso
Bailarinos e Intérpretes: Elson Ferreira, Ester Gonçalves, Filipe Narciso, Inês Godinho, Kim Potthoff e Mathilde Gilhet
Música: Max Richer, Senking, Avo part
Ensaiador: Rui Reis
Desenho de Luz e Sonoplastia: Daniel Cardoso
Fotografia: Cristina Cardoso

Informações

Público: maiores de 6 anos
Duração: 1h e 50 minutos (com intervalo)

Contacte-nos

Para questões relacionadas com espectáculos, patrocínios, estágios, intercâmbios, ou outros assuntos, por favor entre em contacto connosco.

Not readable? Change text.